São Paulo, 4 de abril de 2016

Mario Covas Neto participa do ‘Gente que Fala’

"Golpe é algo que ultrapassa limite da legalidade, e o impeachment está previsto na Constituição", afirma vereador

O vereador Mario Covas Neto foi um dos convidados do programa Gente que Fala desta segunda-feira, 4, apresentado pelo jornalista Zancopé Simões e transmitido pela All TV.

Entre os assuntos que integraram a pauta, o resultado das prévias do PSDB que consagraram João Dória como o candidato do partido à prefeitura. Na opinião de Covas, a vitória do empresário foi importante sobretudo por ir ao encontro do que espera a população: um candidato fora dos padrões tradicionais dos políticos brasileiros. “O João trará sua experiência na área privada para a administração e oferecerá uma nova maneira de governar a cidade”, afirma.

Quando o assunto foi o impeachment, Mario Covas Neto criticou o uso do termo “golpe” pelo PT. “Golpe é algo que ultrapassa o limite da legalidade, e o impeachment está previsto na Constituição”. Segundo ele, há anos o PT coloca parcelas da população contra outras, mas sempre se põe em posição de vítima.

Outro ponto debatido foi a determinação do Departamento de Transportes Públicos (DTP) da prefeitura de São Paulo de que todos os táxis da capital terão de permitir o pagamento de corridas por cartões de crédito e débito.

“Achei a medida exagerada. Creio que uma instrução do DTP, orientando a utilização dos cartões seria suficiente. Uma lei não era necessária”, disse Covas.

Ainda na área de mobilidade, o tucano criticou a não implantação, por parte do prefeito, dos corredores de ônibus prometidos em campanha.

Assista aqui ao programa na íntegra

Tags: , ,

[manual_related_posts]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *