São Paulo, 6 de novembro de 2018

Assistência às gestantes com deficiência auditiva

Covas quer garantir o direito às gestantes deficientes auditivas ao acompanhamento de um intérprete de libras durante a realização do parto de seus filhos

No ano de 2017 foi realizado no estado do Maranhão o primeiro parto com intérprete em Libras. De acordo com a Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e da Participação Popular, foi feita uma parceria com a Central de Interpretação em Libras que facilitou imensamente a comunicação entre o médico e a gestante durante todo o pré-natal e o parto, garantindo mais tranquilidade e segurança à mãe.

Com base nesse caso, apresentei na Câmara Municipal um projeto de lei que visa garantir o direito às gestantes deficientes auditivas ao acompanhamento de um intérprete de libras durante a realização do parto de seus filhos.

Sobre a bem sucedida e inovadora ação ocorrida no Maranhão, Beatriz Carvalho, secretária-adjunta de Direitos da Pessoa com Deficiência, afirma que a língua de sinais é tão importante para as pessoas surdas quanto o português é para os ouvintes. Segundo ela, é a forma deles estarem conectados com o mundo e receberem as informações, de modo que a Central de Interpretação de Libras tem se proposto e atendido as pessoas no sentido de garantir-lhes o acesso a tudo o que precisam saber.

Relatos de gestantes surdas atendidas por esta política pública no Maranhão ajudam a atestar o sucesso da medida, que certamente deve ser incorporada em São Paulo, pioneira em iniciativas de gestão pública.

Cabe ressaltar ainda a importância da comunicação e da linguagem na vida humana e como é essencial que se faça valer esse direito a todos nós, sem distinção, como questão fundamental de dignidade, garantindo acessibilidade em todo e qualquer prestação de serviço público.

[manual_related_posts]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *