São Paulo, 28 de maio de 2019

Artigo: As motos e a segurança no trânsito

Na última segunda, 20 de maio, passou a ser proibido o tráfego de motocicletas na pista expressa da marginal Pinheiros no sentido Castello Branco.

A intenção da prefeitura e da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) com isso é diminuir o número de mortes de motociclistas, que subiu quase 18% entre os anos de 2017 e 2018, totalizando 366 vítimas fatais.

A ação é um passo importante, mas ainda não resolve um problema muito comum no trânsito da capital: a disputa de espaço nas faixas entre motociclistas e os condutores dos demais veículos.

Por isso, reforço a importância do projeto de lei 254/2019, de minha autoria, que prevê a restrição das motos nas vias urbanas que sofreram estreitamento das faixas por conta da utilização do conceito de Melhor Utilização do Leito Viário (MULV).

Este diminui as faixas de rolamento de tráfego em vias de grande demanda de utilização, de modo a maximizar a capacidade do sistema viário local. Dessa forma, o espaço entre os carros é reduzido, tornando mais difícil e arriscada a passagem das motos e potencializando a possibilidade de brigas entre motociclistas e motoristas de carros.

De acordo com um relatório anual de acidentes de trânsito divulgado pela CET, pessoas que dirigem motos podem ser consideradas um grupo de situação de vulnerabilidade no trânsito. Este representa 39% do total de óbitos no tráfego e responde por 53% dos envolvidos em colisões fatais.

O projeto ainda está em tramitação na Câmara Municipal e não tem data para ser votado em plenário, mas certamente terá um importante papel em azeitar o plano da administração municipal em tornar o trânsito da cidade mais seguro a todos.

Tags: ,

[manual_related_posts]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *